Ensino

facebooktwitter_2youtube

Home Notícias Consciência Negra
Consciência Negra

Palestra, filmes e oficinas na comemoração do Mês da Consciência Negra no Campus Poços de Caldas

Para comemorar o dia 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, o IFSULDEMINAS – Campus Poços de Caldas organizou diversas atividades ao longo do mês de novembro, para sensibilização de alunos, servidores e comunidade. Todas as atividades foram gratuitas e abertas a todos os interessados.

Palestra “Historiografia africana”

IMG_8521No dia 04 de novembro, teve palestra com a Profª. Lucilene Reginaldo, especialista em história da África e docente da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Intitulada “Historiografia africana e perspectivas brasileiras: abordagens, pesquisa e ensino”, a palestra da doutora Lucilene tratou sobre a implantação da história da África como disciplina obrigatória no Ensino Médio no Brasil. A pesquisadora apresentou um pouco do contexto e das discussões que levaram à formulação e implantação dessa lei. “Uma questão que eu quis trazer foi: por que a gente não estudou história da África até a implantação de uma lei em 2003? Isso tem a ver com a própria história do Brasil, em particular, com a história dos cursos de formação, de bacharelado e licenciatura em História”, mencionou.

Grata pelo convite de participar do Mês da Consciência Negra no Campus Poços de Caldas, Lucilene explicou que “trazer esse debate para estudantes do Ensino Médio, de licenciatura e de cursos superiores é também mostrar a importância dessa discussão para a sociedade brasileira como um todo. Afinal, grande parte dos temas que foram discutidos no evento tem a ver como uma questão maior: a democracia brasileira, de fato, o que a gente quer para esse país”.

Acesse as fotos e assista aqui a um trecho da palestra!

Oficinas de Abayomi

IMG_8624No dia 07 de novembro, alunos, servidores e comunidade tiveram a oportunidade de participar de duas oficinas de Abayomi, que são as bonecas africanas. A atividade foi conduzida pelas representantes da diretoria do Centro Cultural Afro Brasileiro Chico Rei de Poços de Caldas, Lúcia Vera de Lima, Cláudia Arcanjo e Lais Fausta.

Durante as oficinas, as representantes do Centro Chico Rei explicaram a história das bonecas Abayomi, que eram um dos poucos meios de descontração das crianças filhas de escravos vindos da África. No período da escravidão no Brasil, as escravas rasgavam pedaços das próprias saias para produzirem as bonecas para seus filhos brincarem. Os brinquedos também eram utilizados como uma espécie de identificação entre pais e filhos no futuro, caso essas mães fossem obrigadas a se separarem de suas crianças. Para evitar chamar a indesejada atenção dos donos de escravos, as bonecas tinham que ser pequenas o suficiente para serem escondidas na palma da mão ou no cabelo. Lúcia Vera destaca que a palavra africana “Abayomi” significa: “eu estou dando o melhor de mim para você”.

Lúcia agradeceu a oportunidade de estreitar as relações do Centro Chico Rei com o Instituto Federal, por meio de mais um evento em parceria: “a escola é um local onde conseguimos dialogar com os mais jovens. Pudemos contar um pouco da história que os livros não contam. No Brasil, o racismo é um tanto quanto velado. Somos um país racista e precisamos discutir isso”.

O formando do curso Técnico em Eletrotécnica Integrado ao Ensino Médio, Bruno Ferreira, achou muito fácil e legal fazer uma Abayomi. Para ele, o evento foi importante para conscientizar a todos sobre o combate ao racismo. Júlia Paz, do 3º Ano de Eletrotécnica, se interessou bastante sobre a história das bonecas africanas. Para ela, “o mês da consciência negra ajudou a mostrar para as pessoas de cabeça fechada que todo mundo é igual”.

cameraVeja as fotos das Oficinas de Abayomi!

Oficina de Capoeira

IMG_8683No dia 10 de novembro, o Mestre Kong, da Associação de Capoeira Angola Navio Negreiro (Acanne MG), ministrou uma oficina de capoeira para os participantes do Mês da Consciência Negra do IF.

Mestre Kong comentou que a capoeira surgiu na senzala dos escravos africanos no Brasil. Sobre o evento do Campus Poços de Caldas, elogiou a iniciativa por “permitir à cultura falar sobre si mesma”: “a cultura afro está impregnada na brasileira, por meio das congadas, dos caiapós, da capoeira e da própria linguagem. Não deveria ser algo diferente”.

O estudante Fábio Costa, da Engenharia de Computação, foi um dos participantes da oficina. Ele falou que a aula do Mestre Kong foi muito interessante porque mostrou um pouco da cultura brasileira. “O evento é essencial. Ainda precisa de campanha de conscientização contra o preconceito e a escola tem esse papel”, salientou.

Confira as fotos e o vídeo da Oficina de Capoeira!

Exibição de filmes

IMG_8627Ao longo de todo o mês de novembro, os alunos do Grêmio Estudantil do Campus Poços de Caldas exibiram, no auditório do Campus na hora do almoço das segundas-feiras, filmes relacionados à temática da consciência negra. Foram exibidos: “Ao mestre, com carinho”, “Mãos Talentosas”, “A História de Ruby Bridges” e “Quanto vale ou é por quilo?”. O professor Alexandre Carvalho participou de diversas atividades do Mês da Consciência Negra. “foi um evento de suma importância para o nosso Campus e acredito que será cada vez melhor”, frisou.

O Mês da Consciência Negra no IFSULDEMINAS – Campus Poços de Caldas é uma iniciativa do Campus em parceria com o Grêmio Estudantil e o Centro Cultural Afro Brasileiro Chico Rei. A organização do evento foi coordenada pela professora de história, Lerice de Castro Garzoni. Para a docente, o resultado do evento foi bastante positivo: “acho que ficou muito interessante mesclar a palestra (algo bem acadêmico) com os filmes e as oficinas. Para os alunos do superior, é imprescindível ter contato com um debate mais aprofundado sobre o ensino de História da África e suas implicações políticas. Já para os alunos do Ensino Médio, ter a oportunidade de fazer uma oficina permite que eles tenham outras vivências, que reforçam os conceitos trabalhados no ensino formal, além de sensibilizar de outras formas. O mesmo vale para os filmes, cuja responsabilidade pela exibição ficou a cargo dos próprios alunos do Grêmio Estudantil. Fiquei muito contente com o resultado e espero que, nos próximos anos, seja possível ter mais participação ainda da comunidade externa, o que reforça o caráter extensionista do evento”.

Fotos: Daniel Aroni & Heliese Pereira
Texto: Daniel Aroni
Ascom/IFSULDEMINAS - Campus Poços de Caldas
www.facebook.com/ifsuldeminaspocosdecaldas
22/12/2016