Ensino

facebooktwitter_2youtube

Home Notícias Luta antimanicomial e drogas
Luta antimanicomial e drogas

 Campus discute políticas de saúde mental com roda de conversa sobre álcool, drogas e violência

Os palestrantes apresentaram uma proposta de internação com redução de danos

IMG_6154O IFSULDEMINAS - Campus Poços de Caldas, por meio da Comissão de Saúde e Qualidade de Vida do Trabalhador, abriu suas portas para discutir e refletir sobre as políticas de saúde mental no país, apresentando uma reflexão no formato de roda de conversa, sobre "Álcool, drogas e violência". Em parceria com a PUC Poços de Caldas, por meio da Liga de Saúde Coletiva, os estudantes do curso de Psicologia da Instituição, Isabel Henriques Villas Boas, Lucas Bernardes Vinicius e Josué Aparecido Alves Pinto Júnior, conduziram as rodas de conversa ocorridas em dois momentos: no dia 22 de maio para os estudantes do período noturno e 24 de maio para os estudantes do período integral. A ideia foi fortalecer o movimento de luta antimanicomial no sentido de romper com a cultura manicomial e com todas as formas de opressão social, para construir possibilidades de convívio com as diferenças.

O Movimento tem como meta a substituição progressiva dos hospitais psiquiátricos tradicionais por serviços abertos de tratamento e formas de atenção dignas e diversificadas, de forma a combater a ideia de que se deve isolar o sujeito em longos tratamentos. De acordo com Lucas, não adianta ter uma lei que extingue os manicômios, se muitas vezes eles estão na mente da população. “Podemos dizer que os muros não existem mais, propriamente dito, porém temos instituições com práticas manicomiais, ou em nossas atitudes, quando olhamos o outro e dizemos tem que internar, tem que tirar da rua, ele não pode estar no nosso meio, ainda está presente na cabeça e na cultura higienista brasileira. Fato que ocorre frequentemente com usuários de álcool e outras drogas, ao submetê-los em internações compulsórias, sem ao menos respeitar sua liberdade”, salientou Lucas.IMG_6148

Em contraponto ao tratamento forçado, os estudantes apresentaram uma proposta de internação com redução de danos para usuários de álcool e outras drogas que vai de encontro com a luta antimanicomial – o Caps AD (Centro de Atenção Psicossocial – Álcool e Drogas). O principal objetivo do centro é a reorganização da vida do paciente com novas perspectivas de cuidados, apontou Isabel. “O Caps trabalha de outra forma, sem abstinência e sem tirar o sujeito de seu convívio social, sendo assim, o usuário vai por vontade própria, para e volta quando quiser, há um respeito com seu próprio corpo”, explicou.

O espaço está localizado à Rua Piauí, 430 – Centro. Telefone: 3697-2249.

Dia Nacional da Luta Antimanicomial

Em 18 de maio é comemorado o Dia Nacional da Luta Antimanicomial. Esta data marca o lançamento do primeiro manifesto público a favor da extinção dos manicômios – a carta de Bauru, divulgada em 1987 por trabalhadores de saúde mental durante o II Congresso Nacional de Trabalhadores da Saúde Mental. A luta é por uma sociedade sem manicômios e contra todas as formas de opressão social das pessoas público-alvo da saúde mental.

cameraface_icone_transparente Confira mais fotos!

 

Texto e fotos: Heliese Pereira
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
26/06/2018, às 10:32